SOMOS NOSSOS PRÓPRIOS MESTRES!!

01-02-2007 00:00

 

Pobre criatura esta, denominada HOMEM!  Gasta valiosos recursos tentando dominar o Planeta, o Cosmo, o outro, quando nem ao menos aprendeu a dominar a si mesmo ou a viver no pequeno espaço que ocupa em sua comunidade, convivendo com seus semelhantes.
 
Todos os dias vemos essa realidade comprovada através da desonestidade, do egoísmo, da manipulação, da violência, da corrupção, do descaso, do crime de toda ordem, e de tantos outros adjetivos que definem tão bem a ignorância do Homem. Ignorância que transforma em vítima não só aquele que sofre passivamente as consequências dessas atitudes tão “pequenas”, mas que também transforma em vítima ativa o próprio agente responsável por tais barbaridades. Não se trata aqui de ignorância cultural ou de ingenuidade, mas da triste constatação da ignorância acerca de si mesmo, de sua real natureza e finalidade na vida. Ignorância que permeia não apenas os incultos, mas principalmente aqueles considerados “esclarecidos”, apesar dos inúmeros recursos que nos são fornecidos hoje pelo avanço da tecnologia, que encurta distâncias, e a cada dia nos encaminha para uma cultura globalizante.
 
Toda essa sorte de ignorantes que, infelizmente, ainda são a grande maioria no planeta, se acha no direito de tomar para si aquilo que não consegue conquistar através de meios adequados e justos. Vítimas ativas da própria ignorância, não compreendem o verdadeiro significado da vida. Serão julgados no Tribunal de sua própria consciência, onde o remorso se tornará a pena que os condenará nesta vida e em vidas futuras, sofrimentos que muitas vezes perduram por séculos, até o completo resgate dos crimes cometidos. Por outro lado, as vítimas passivas, que sucumbem de forma menos intensa, pois sofrem apenas prejuízos morais, materiais ou físicos, outrora, em vidas pregressas, provavelmente cometeram elas próprias crimes que atormentam sua consciência, e o sofrimento da vida atual funciona como forma de resgatá-los. Dessa forma, podem retornar ao mundo espiritual aliviados em suas consciências. Essas provações as quais se submetem tais vítimas, se bem compreendidas, servirão de base para a grande conquista da renovação moral.
 
Ao analisarmos ambos os casos, podemos concluir que, em qualquer circunstância, o Homem é sempre vítima de si mesmo e de sua própria ignorância. Apesar de tudo, toda ação menos virtuosa que pratica, acaba servindo aos propósitos divinos, para o cumprimento de Suas Leis, sábias e justas, que corrigem os criminosos de ontem através dos criminosos de hoje. Isso não significa que devamos isentar da culpa aqueles que optam pelos caminhos do crime, mas apenas alertar para uma tendência interna que parece se generalizar na grande maioria das mentes desprevenidas: a de que os criminosos divergem do contexto social e são incapazes de qualquer forma de recuperação. Porém, até que consigamos superar esse período de ignorância espiritual, nossos cárceres, hospitais e manicômios estarão sempre lotados.
 
Por outro lado, podemos ainda concluir que, da mesma forma recíproca que um crime é “punido” por outro crime, uma atitude amorosa será premiada por outra de mesmo teor. Porque então não colhermos o bem? Porque insistir no mau caminho? 
 
Sejamos nossos próprios Mestres! Comecemos a aprender com nossos erros e sofrimentos, a nos instruir com a vida, cheia de sábias lições, que nos doa todos os dias amplo material didático para o nosso autoconhecimento e autodesenvolvimento. Ampliemos nossa inteligência e nossa moral, abrindo nossa mente para a Verdade, renunciando ao autoengano, deixando de criar ilusões a respeito de nós mesmos. 
 
Busquemos a Verdade, enunciada em todos os Evangelhos. Escolha um caminho retilíneo que te leve ao centramento moral de sua consciência. No aprendizado diário do convívio humano, tendo como base e suporte a Verdade Crística, aprenderemos a nos doar para a Vida, e estaremos a cada passo mais próximos da Felicidade plena.
 
Cristina Lessa Cereja

—————

Voltar


Contactos

Cris Cereja

Consultório:
Rua Ernesto Basílio, 45 Sl.301
Nova Friburgo - Rio de Janeiro